Mulher de negócio

Dermatologia Clínica no Adulto e Idoso

 Acne
 É uma doença multifatorial que ocorre no folículo pilosebáceo, são observados nestes pacientes alteração do padrão de  queratinização dentro do folículo, aumento do tamanho das glândulas sebáceas, as quais produzem mais sebum e aumento da quantidade de Propionibacterium acnes. Sabe-se há muito tempo que os hormônios andrógenos são conhecidos também por ter envolvimento na acne, e atualmente foram observados existência de receptores de andrógenos nas glândulas sebáceas.
A acne tem uma prevalência mundial de 80% de casos, e dentre estes, 20% são moderados a grave, na vida adulta está ocorrendo aumento de incidência de acne em cerca de 40% dos adultos.

Tem vários graus de gravidade, variando do grau I ( comedônica ), grau II ( pápulo-pustulosa), grau III ( acne nódulo-cística), grau IV ( acne conglobata) e grau V (acne fulminans ), esta última é rara, tem aparecimento súbito e tem sintoma gerais como febre, leucocitose, poliartralgia, e hemorragia ou necrose de algumas lesões.

  

Acrocórdon
É uma lesão fibrosa de pele que se apresenta como pápula ( bolinha ) pedunculada, cor da pele ou um pouco mais escurecida, predominantemente localizado na pescoço, axilas e virilhas, mas podem ocorrer também em outras áreas. Podem ser únicas ou múltiplas e variam de tamanho de 1 a 2mm até 1 a 2 cm. 

São lesões muito comuns e aumentam em número com a idade, ocorrem em homens e mulheres.
 
Angioma Rubi ou Angioma Cereja ou Nevo Rubi

São pápulas ( bolinhas) avermelhadas, brilhantes, em forma de cúpula, de alguns milímetros de diâmetro.

Aparecem na idade adulta, e após os 60 anos é encontrada na maioria dos indivíduos, é uma lesão benigna e consiste em capilares dilatados, neoformados e vênulas.
   

Alopecias/queda de cabelo 

Para começar a diferenciar os tipos de alopecias primeiro definimos se a queda é difusa  ( global ) ou focal (em forma de placas ou localizada).

Podemos dividir a queda de cabelo nas seguintes causas: falha da produção de cabelo, quebra de cabelo, anormalidade do ciclo do cabelo, destruição do folículo e outras doenças mais raras. Determinar se ocorre destruição do folículo ou não, ajuda a definir a causa.

As causas mais comuns de alopecia que aparecem  no consultório são: eflúvio telógeno, eflúvio anágeno, alopecia areata, alopecia androgenética, alopecia de tração, tricotilomania e tinea do couro cabeludo.

Fases do cabelo:

 Anágena- fase de crescimento, duração dela varia nas diferentes áreas do corpo, indivíduos e idades, e determina o comprimento do cabelo naquela área. Dura em geral 3 ou mais anos, ao fim da fase anágena o bulbo piloso move-se de áreas mais profundas para mais superficiais ( fase catágena), e após isso ocorre a fase telógena onde o fio não está mais seguramente ancorado em tecidos mais profundos e começa a cair.

Catágena- é a fase transitória do ciclo, entre a anágena e telógena, e dura de 2 a 4 semanas.

Telógena- duração também varia de acordo com a área do corpo, em geral dura de 3 a 4 meses, e representa a fase de queda.

 

Tipos/Causas de queda de cabelo/alopecias:

Eflúvio telógeno: ocorre uma mudança precipitada dos cabelos anágenos para telógenos. Ele pode ser causado por uma série de fatores estressantes físicos ou emocionais, como por exemplo: hipo/hipertiroidismo, pós parto, peri ou pós menopausa, deprivação calórica e/ou protéica ( regimes ) , deficiência de ácido graxos, deficiência de zinco, biotina e /ou ferro, drogas como anticoagulantes, inibidores da ECA, quimioterápicos, beta bloqueadores, lítio, anticoncepcional oral, retinóides, ácido valpróico, excesso de vitamina A, anemia, cirurgia, stress físico, stress emocional, doenças sistêmicas. Costuma iniciar-se de 3 a 4 meses após o evento causador, se o evento se cessar a queda se resolve após vários meses e pode demorar de 6 a 12 meses para o cabelo retonar ao basal, geralmente é reversível.

 

Eflúvio Anágeno: é normal ocorrer queda de cabelos na fase telógena, já na fase anágena é incomum, e pode acontecer nos casos de radioterapia realizada na cabeça e quimioterapia sistêmica. A reposição dos cabelos com uma pelagem normal ocorre rapidamente após cessar a quimioterapia, com exceção nos casos de preparo para transplante de medula óssea, com altas doses de bussulfan, que levam à alopecia permanente. A repilação após radioterapia depende do tipo, profundidade e dose.

 

Alopecia Androgenética: é um tipo de queda geneticamente determinado e ocorre em aproximadamente 60% dos homens e 40% das mulheres. Nos casos mais graves a alopecia androgenética inicia-se após a puberdade, e na grande a maioria inicia-se por volta da terceira década de vida e progride por décadas.

As mulheres não chegam a evoluir com alopecia/calvície completa e geralmente preservam a linha frontal do couro cabeludo evoluindo com afinamento progressivo capilar no topo do couro cabeludo.

Os homens mostram uma predominância de calvície bitemporal ("entradas") e no vertex do couro cabeludo ( coroa ), podendo progredir para alopecia/calvície total nas áreas afetadas. Esta condição ocasiona uma progressiva miniaturização nos folículos envolvidos, há aumento da fase telógena e diminuição da fase anágena, e foi observado aumento de expressão da enzima 5 alfa redutase tipo II, que transforma testosterona em diidrotestosterona, nas áreas onde ocorre a calvície.

 

Alopecia Frontal Fibrosante Cicatricial- Condição cada vez mais comum atualmente, ocorre principalmente em mulheres pós menopausa, e se caracteriza por uma regressão da linha frontal capilar, com fibrose, escamação, inflamação e vermelhidão perifolicular com perda dos orifícios, tanto dos cabelos quanto sobrancelhas e pelos nos membros. É um quadro progressivo e que necessita de tratamento para minimizar a progressão.

 

Alopecia de Tração- Ocorre por tração inadvertida e prolongada no couro cabeludo, por pressão física de  determinados penteados, e formas de pentear os cabelos, no início é reversível, mas com o passar do tempo se torna irreversível.

 

Alopecia Areata- Ocorre em algum ponto da vida com uma incidência aproximada de 1,7% de indivíduos afetados, se caracteriza por perda de cabelos e pelos do corpo em placa ou confluentes, de maneira súbita, a causa é ainda obscura e existe a hipótese de ser autoimune e emocional. Nestes pacientes há uma incidência maior de alterações de tireóide e distúrbios pigmentares.

Câncer de Pele 
Carcinoma Espinocelular
É uma proliferação maligna dos queratinócitos da epiderme ( células da pele ), existe uma forma verrucosa e outra não verrucosa.
As principais causas deste tipo de câncer são: radiação ultravioleta, contato com arsênico, contato com hidrocarbonetos, radiação infravermelha, radiação crônica ( Rx ), cicatrizes de queimadura, úlceras crônicas, lúpus discóide, lúpus vulgar, epidermólise bolhosa distrófica, linfogranuloma venéreo, osteomielite crônica entre outras. Carcinomas espinocelulares também podem ser causados por papiloma vírus humano ( HPV). Em pacientes transplantados imunossuprimidos ocorre com frequência elevada .
Este tipo de câncer pode gerar metástases, e tem diversas apresentações clínicas.
 
Carcinoma Basocelular
É um tumor de pele maligno, originário das células basais da epiderme, invasivo localmente e muito raramente metastatiza. É o câncer mais comum nas populações brancas, a incidência é maior em homens que em mulheres. A principal causa é a exposição à radiação ultravioleta, e existem várias síndromes genéticas onde ocorre o aparecimento precoce e múltiplos de basocelulares. Eles são mais comuns na cabeça e pescoço, mas podem atingir qualquer área do corpo, exceto mucosas. Existem várias apresentações clínicas: nodular. superficial, moreiforme, cístico, basoescamoso, micronodular e fibroepitelioma

 

Melanoma

É um tipo de câncer proveniente da transformação maligna dos melanócitos, potencialmente letal e que vem apresentando aumento da incidência nas últimas décadas. O melanoma representa 3% de todos os tipos de cânceres e é responsável por aproximadamente 1% das mortes por câncer.

A exposição solar é um dos principais fatores de risco, principalmente quando a exposição ocorre na infância antes dos 12 anos de idade, outro fator de risco é a fototerapia PUVA. Geralmente quanto maior a latitude menor a incidência de melanoma e quanto mais próximo da linha do Equador maior a incidência .

 Os fatores genéticos, como histórico familiar de melanoma são outro fator de risco importante e também em indivíduos com grande número de nevos ( pintas) benignos e principalmente nevos atípicos ( displásicos).

Observamos maior incidência de melanoma em indivíduos de pele clara e menor incidência em indivíduos de pele mais escura, nestes últimos, a melanina exerce um papel de proteção importante e também costumam apresentar uma incidência menor de nevos melanocíticos ( pintas), que podem ser precursores de melanoma.

O fenótipo pele clara, facilidade de queimadura solar, cabelos loiros ou ruivos, tendência à sardas, melanoses, olhos azuis e verdes, também apresenta maior risco de melanoma.
Além da pele, mais raramente, o melanoma pode ser ocular ( 5% de todos os melanomas), ocorrendo na conjuntiva e úvea, pacientes com síndrome do nevo displásico apresentam maior número de nevos na conjuntiva e úvea, e pacientes caucasianos com melanose ocular ( nevo de Ota) podem ter risco maior de melanoma uveal.  Também existem os melanomas de mucosas ( menos de 4% de todos os melanomas), que são raros, e podem ocorrer na boca, nasofaringe, laringe, vagina e ânus.

O melanoma é um câncer potencialmente grave e quando diagnosticado precocemente apresenta um elevado índice de cura.

De maneira geral a apresentação clínica é similar à uma pinta escura, marrom ou enegrecida, mas exitem também os melanomas amelanóticos, que não apresentam pigmentação escurecida.

 

 Cistos Epidérmico/Sebáceo
Existem vários tipos e o mais frequente é o cisto epidérmico, ocorrem por proliferação de células epidérmicas produtoras de queratina no interior da derme, podem ser devidos à oclusão do folículo piloso, implantação de células da epiderme na derme ou por células desprendidas ao longo de fendas embrionárias. São nódulos de vários tamanhos com coloração de pele normal, esbranquiçados ou amarelados, podem evoluir com inflamação e infecção. 


Dermatite/Eczema de Estase 
É um quadro dermatológico associado à insuficiência venosa crônica, podendo estar associado à varicosidade ( varizes), edema ( inchaço) crônico nas pernas, ulceração venosa, depósito de hemossiderina e lipodermatosclerose. A dermatite de estase pode surgir como um sinal precoce de insuficiência venosa, mas pode ser persistente e recorrente por todos os estágios da insuficiência venosa.
Os sintomas são: edema no terço inferior das pernas, mais pronunciado ao entardecer e que desaparece da noite para o dia, depósito de hemossiderina na pele da região, ressecamento de pele, muita coceira, progressivo endurecimento dos tecidos mais profundos ( subcutâneo e fáscia ), úlceras, vermelhidão, descamação entre outras intercorrências. 

 

Dermatose Papulosa Nigra
Consiste em pequenas pápulas pigmentadas, variando de 1 a 5 mm, localizadas nas bochechas, fronte e também no pescoço, tórax e dorso. Começam a surgir na adolescência e aumentam em tamanho e número com o passar do tempo, com pico na sexta década de vida. A causa é desconhecida, tem forte predisposição familiar, é considerada uma variante da queratose seborréica e é mais comum em pessoas de pele mais pigmentada, muito comum em indivíduos de ascendência africana.

 

Dermatite de Contato Alérgica

É um dos problemas dermatológicos mais frequentes, existem mais de 2800 alérgenos ambientais conhecidos.

Primeiro ocorre a penetração do alérgeno ( antígeno ) na pele, após isso as células apresentadoras de antígenos ( Células de Langerhans/células de defesa) processam e migram com o antígeno ( alérgeno) até o linfonodo mais próximo, a partir daí ocorre formação de linfócitos T de memória específicos à este alérgeno contactante, este processo demora em torno de 4 a 5 dias. Após outro contato deste alérgeno com a  pele de um indivíduo previamente sensibilizado, ocorre reconhecimento deste antígeno pelas células T de memória específicas, as mesmas se dirigem ao local de aplicação do antígeno na pele, e em 24 a 48 horas a reação inflamatória se desenvolve.

As manifestações clínicas caracterizam-sem por placas e pápulas avermelhadas, com muito prurido ( coceira), vesículas e bolhas. 
 

Dermatite Seborréica 
É uma doença comum, crônica e recorrente, não contagiosa e que ocorre mais em áreas ricas em glândulas sebáceas, com preferência de couro cabeludo, face, orelhas/ouvidos, tronco e áreas intertriginosas.

Ocorre em crianças e adultos, com picos de incidência nos primeiros 3 meses de vida e depois dos 40 aos 70 anos. Pode estar associada à doenças neurológicas, piora com variações de temperatura, exposição UVA, stress, bebida alcóolica, banho quente/demorado. Apresenta incidência importante em pacientes com HIV e inclusive com lesões mais exuberantes.

Se caracteriza por lesões avermelhadas e descamativas nos locais acometidos.
 

 Dermatite Atópica
É uma doença crônica que ocorre durante a infância, pode ser associada à aumento sanguíneo de IgE, rinite alérgica e/ou asma e história familiar de dermatite atópica. Não existe  um exame específico e sim uma série de manifestações clínicas que são favoráveis para este diagnóstico, algumas delas são: coceira, lesões crônicas em áreas flexoras de membros superiores e inferiores, lesões faciais na infância, ressecamento de pele, infecções cutâneas, queratose pilar, pitiríase alba, eczema no mamilo, acentuação perifolicular, entre outros sinais. 50% dos pacientes desenvolvem a dermatite atópica no primeiro ano de vida e 30% desenvolvem entre 1 e 5 anos de vida, 80% podem desenvolver rinite e asma no decorrer da infância. Vários estudos mostram que alguns tipos de alimentos podem exacerbar a dermatite atópica. 

As lesões são em geral avermelhadas, ásperas, descamativas e muito pruriginosas ( coceira ).
 

Eczema Numular

São lesões avermelhadas, descamativas em forma de moeda, bem demarcadas, variam de 1 a 3 cm de diâmetro. Podem ocorrer como manifestação de dermatite atópica, eczema asteatósico e eczema de estase, mais comuns na mãos, antebraços e pernas, em geral são grossas ( liqueinificadas e hiperqueratósicas), mas podem apresentar inflamações agudas com vesículas e umidade. O prurido ( coceira) pode ser intenso e as escoriações são frequentes.


Eczema Asteatósico
Ocorre quando a pele resseca e se caracteriza por pele opaca, com escamas finas parecidas com flocos de cereal, que podem se soltar como nuvens pulverulentas quando o paciente tira as meias. Nos estágios mais avançados a pele apresenta um padrão rendilhado, fissuras superficiais, coloração rosa a vermelho claro e aspereza. Nos estágios do eczema propriamente dito ocorre vermelhidão, secreção, crostas, coceira com escoriação.
As causas da pele seca podem ser: clima seco, exposição excessiva à água e detergentes, desnutrição, insuficiência renal e hemodiálise, ictiose vulgar, atopia, e a causa mais comum é o envelhecimento. Após os 60 anos ocorre uma diminuição dos lipídeos da pele, diminuição da capacidade da pele de se ligar à água, diminuição da capacidade de recuperação da barreira cutânea entre outros fatores ligados ao envelhecimento.


Elastose Solar
Ocorre um espessamento de pele, com cor amarelada e superfície sulcada como casca de laranja, é causada por degeneração de fibras elásticas e colágenas da pele por ação da luz solar.

Foliculite

Infecção de pele que ocorre no folículo piloso, a forma mais comum é a causada por infecção bacteriana e a outra é a fúngica. Acomete principalmente couro cabeludo de crianças, barba, axilas, extremidades e nádegas de adultos. Se caracteriza por pústulas foliculares.

 

Furúnculo

É um nódulo inflamatório mais profundo que se desenvolve a partir do folículo piloso. Comum em área de barba, regiões sujeitas à fricção, oclusão e transpiração como pescoço, face, axila e nádegas. Existem casos de furunculose que podem ocorrer mais em obesos, pessoas com alteração da imunidade e alteração sanguínea, diabetes mellitus. 

Se caracteriza por nódulos dolorosos avermelhados que evoluem com secreção purulenta.
 

Herpes Zoster
Infeção causada por um vírus da família herpes vírus, um varicella-zoster vírus.

 É uma infecção localizada, caracterizada por erupção vesicular, radicular e dolorosa, limitada à um dermátomo e ocorre por reativação do vírus latente em pessoas que tiveram contato com o vírus varicella-zoster ( catapora ), mais comum em pessoas idosas e imunocomprometidas ou adultos saudáveis que apresentam alguma queda pontual da imunidade
Os sintomas de herpes são dor, alteração sensitiva, coceira ou queimação no dermátomo envolvido vários dias antes da erupção ocorrer, esta consiste de manchas avermelhadas e pápulas ( bolinhas) que evoluem para vesículas ( pequenas bolhas) e pústulas ( pequenas bolhas com pus), o processo se resolve sozinho e dura em torno de 7 a 10 dias, no entanto deve ser tratado para evitar complicações como a neuralgia pós herpética.

 

Herpes Simples

O herpes simples humano apresenta dois subtipos mais comuns, o herpes simples tipo 1  ( geralmente orofacial ) e tipo 2 ( geralmente genital ).
Esta virose pode apresentar uma variação de infecções muco cutâneas primária e recorrente. Primeiro ocorre a infecção primária, por contato direto com áreas infectadas, pode ser desde inaparente até uma gegivoestomatite aguda e mais grave, com febre, vesículas dolorosas, úlceras na língua, pálato, gengiva, mucosa bucal e lábios, após isso o vírus estabelece um estado de latência. A doença recorrente é causada pela reativação do vírus dormente que caminha pela fibra do nervo estabelecendo a  infecção de pele, esse processo se manifesta com coceira e queimação que evolui com lesões avermelhadas e vesículas que podem ulcerar, os fatores desencadeantes mais comuns são: exposição solar, trauma nos lábios, stress emocional e fadiga; a cicatrização completa do processo ocorre em 8 a 9 dias. Afeta em torno de 25% a 40% da população e em torno de 85% da população já tiveram contato com o vírus e apresentam sorologia positiva.

A infecção genital pelo herpes aumentou na últimas três décadas e continua a aumentar, se manifesta de 3 a 14 dias após a relação sexual onde haja contato com lesões de herpes em atividade, se apresenta com vesículas agrupadas que se rompem e ulceram. Também pode evoluir para infeção genital recorrente.
 

 Hiperidrose

Desordem da sudorese, que se caracteriza por excesso de suor, ocorre por disfunção dos centros do suor, vias simpáticas pré-ganglionares, gânglio simpático, vias pós ganglionares, função secretora da glândula sudorípara e ducto. Pode ser generalizada ou localizada (palmas, plantas e axilas).  As formas mais generalizadas podem ocorrer devido à alguma injúria da medula espinhal, por associação com neuropatias periféricas, associação com lesões cerebrais, neoplasias intratorácicas, doenças sistêmicas como feocromocitoma, Parkinson, tirotoxicose, diabetes mellitus, insuficiência cardíaca congestiva, ansiedade, menopausa, intoxicação por drogas ou compensatória ( pós simpatectomia para tratamento de hiperidrose localizada).

As formas localizadas ocorrem em pequenas áreas, normalmente não tem causa definida e muitas vezes tem caráter emocional, podem estar associadas com outras alterações como neuropatia diabética, herpes zoster, encefalopatia, siringomielia entre outras.

A hiperidrose de palmas e plantas ocorre em situações de stress emocional e pode estar associada com taquicardia, não piora com altas temperaturas e nem durante o sono.

A hiperidrose axilar piora com stress emocional e com aumentos de temperatura, 25% dos pacientes com hiperidrose axilar tem também palmoplantar.

Lipoma
Os lipomas são um tipo de tumor benigno dos mais comuns, se localizam no subcutâneo, os sítios de predileção são tronco e pescoço, mas podem ocorrem em qualquer lugar. Normalmente  são nódulos palpáveis abaixo da pele, pequenos, crescem lentamente e são assintomáticos. Poucos podem ser grandes atingindo mais de 15 cm ou podem ser dolorosos.

 

Melanose Solar
São manchas de até 1,5 cm de diâmetro de cor castanhos clara ou escura, causadas pela ação acumulativa da luz solar na pele. A época de aparecimento depende do tipo de pele e tempo de exposição solar, raramente ela evolui para alteração maligna.

Melasma
 Afecção muito comum e crônica, adquirida, caracterizada por placas simétricas hiperpigmentadas ( escurecidas) que podem ser marrom-claro, marrom-escuro e marrom-acinzentado, com bordas irregulares e distribuídos simetricamente, mais comum na face, parte extensora dos antebraços e parte média superior do tronco, a incidência é maior em mulheres do que em homens, muito comum em hispânicos e asiáticos

Na face a distribuição pode ser centrofacial, malar e mandibular. A centro facial é a mais comum e envolve fronte, bochechas, nariz, lábio superior ( poupando o philtrum) e queixo.
 A causa é desconhecida,  podendo ter vários fatores associados como: predisposição genética, influência de hormônios como o estrógeno, radiação ultravioleta e luz visível solar e artificial, drogas (medicações fototóxicas, fenitoína), anticoncepcional hormonal, gravidez, doenças autoimunes da tireóide. Estudos recentes mostram que há um aumento do número de melanócitos e aumento da produção de melanina, assim como aumento dos fatores de crescimento dos vasos sanguíneos na pele com melasma. 

 

Micoses 
Existem inúmeros tipos e diferentes fungos causadores, vamos citar aqui as mais comuns:
Tinea pedis - popularmente é conhecida como " frieira", ou " pé de atleta",  afeta os pés, causada por fungos, extremamente comum, principalmente em épocas de verão e em países com clima tropical ou subtropical. Muito comum em pessoas que usam sapatos fechados, por maior umidade e calor local, e em pessoas que frequentam praias ou piscinas. Ela pode se apresentar com fissura, descamação e maceração interdigital ou subdigital, a infecção pode se espalhar para as plantas dos pés ( sola) e raramente atinge o dorso dos pés. Alguns pacientes apresentam hiperidrose associada, como fator de piora ( excesso de suor nos pés), esta situação também deve ser tratada. Existe outra forma que é a papuloescamosa, normalmente bilateral e se apresenta como descamação em toda a planta na apresentação " mocassin-like". Uma terceira forma de apresentação é a vesiculosa ou vesico-bolhosa, se apresentando com pequenas bolhas e mais raramente bolhas maiores, pode ocorrer descamação. O quarto tipo é a variação aguda ulcerativa, com maceração e ulceração.

Tinea da mão- atinge as palmas das mãos e interdígitos, e apresenta manifestações semelhantes à da tinea do pé.

Tinea Cruris- localiza-se na região da virilha, genitais, região pubiana, períneo, e perianal, mais comum em climas tropicais e no verão, em ambientes quentes e úmidos, o local está normalmente coberto o que leva à uma facilitação da progressão do fungo. A apresentação é com lesões avermelhadas, pápulas e vesículas, descamativas, bordas elevadas bem delimitadas, pode ocorrer maceração e fissuras, dor e coceira.

Tinea da Unha e Onicomicose- a tinea da unha é caracterizada pela infecção por fungos dermatófitos da lâmina ungueal e a onicomicose é caracterizada por infecção por qualquer tipo de fungo, também afeta pessoas na mesma situação dos casos de tinea pedis, muito comum em idosos, em mulheres é muito comum nas unhas das mãos. Podemos ver quatro tipos de onicomicoses: forma distal subungueal, forma proximal subungueal, onicomicose branca superficial e onicomicose pelo fungo candida. A tendência, à medida que o quadro progride, é evoluir com  hiperqueratose subungueal ( espessamento abaixo da unha) e distrofia da lâmina ungueal.

Ptiríase Versicolor- causada pelo fungo Malassezia furfur, que faz parte da flora cutânea normal, e sob algumas circunstâncias ele se transforma da forma saprófita para a forma parasitária. Ela se apresente de três formas: lesões pápulo escamosas, que são manchas hipopigmentadas ( esbranquiçadas) , hipergimentadas ( acastanhadas ) ou vermelho-acastanhadas, descamativas, localizadas no peito, costas, abdômen, braços e coxas, mais raramente podem ocorrer na face, couro cabeludo e genitais, a coceira é moderada ou ausente. O fungo pode filtrar os raios solares e interferir com a coloração da pele no local, e também causar despigmentação, por inibição da tirosinase ( enzima que participa na metabolização da melanina). A segunda forma é a foliculite pitirospórica, que ocorre no peito e costas e às vezes nas extremidades, caracterizada por vermelhidão perifolicular, pápula e pústula folicular. A terceira forma é a pitiríase versicolor invertida, que se localiza nas áreas flexurais ( de dobras ), e neste caso pode ser confundida com dermatite seborréica, candidíase, psoríase, eritrasma ou tinea.

Nevos Melanocíticos ( Pintas )

Os nevos ou pintas começam a aparecer após os 6 meses a 12 meses de vida, aumentam de tamanho com o crescimento corpóreo e regridem nas idades mais avançadas.

 Os nevos podem sofrer transformações não relacionadas à malignidade, que ocorrem durante a gravidez, puberdade, uso de glicocorticóides sistêmicos, exposição solar, doenças bolhosas, nestes casos todos os nevos costumam alterar ao mesmo tempo na região afetada. Qualquer nevo que modifique em cor e tamanho sozinho deve ser examinado com cuidado. Mudanças súbitas nos nevos podem ser devidas à dilatação do folículo piloso, formação de cisto, foliculite, trauma, abscesso ou hemorragia e também devem ser examinados.

Se apresentam como lesões arredondadas de coloração castanho claro a enegrecida, podem ser planas ou elevadas.

Pitiríase Rósea

 É uma erupção de pele aguda e auto limitada, que em boa parte dos casos pode se iniciar com uma placa mãe, arredondada ou oval, avermelhada ou salmão com descamação central e cresce atingindo alguns centímetros de diâmetro, geralmente no tronco. Após isso ocorre o aparecimento de erupção secundária que podem aparecer ao longo de várias semanas, no tronco todo, abdome, extremidades e pescoço, raramente acomete pênis e face. Esta erupção secundária pode durar de 2 a 10 semanas, 75% dos pacientes apresentam prurido que vai de leve a moderado.

A causa não é conhecida, e o tratamento não é necessário e é feito somente se é sintomático.

 
Poiquilodermia Solar
Caracteriza-se por um reticulado telangectásico ( vasos sanguíneos) nas faces laterais  e porção inferior do pescoço e colo, muito comum em pessoas de pele clara, causada pela exposição solar crônica.

Psoríase

A psoríase é uma doença crônica ( não tem cura, somente controle), tem predisposição poligênica, combinada com fatores desencadeantes, por exemplo, traumas, infecções, estresse, consumo de álcool, alguns medicamentos e tabagismo.

Observa-se placas eritematosas descamativas e demarcadas, ocasionalmente pústulas estéreis são observadas, coceira pode ocorrer ou não. 

São comumente localizadas no couro cabeludo, joelhos, cotovelos, unhas, mãos, pés e tronco, também prega interglútea, pode ocorrer também oligartrite assimétrica das pequenas articulações de mãos e pés.

Quelóide

É uma proliferação fibrosa pós-traumática.

Pode resultar de traumatismo mínimo, queimadura, exérese cirúrgica, vacinas, acne e ferimentos. Há predisposição individual para o aparecimento de quelóides, e eventualmente tendência familiar, negros e mestiços são particularmente predispostos.

 

Queratose Actínica
É uma lesão pré cancerosa, muito comum em pessoas de pele clara que foram submetidas à exposição solar, mais comum em indivíduos de meia idade e idosos, em áreas expostas ao sol durante a infância e juventude, presente também em imunocomprometidos, albinos, transplantados,  doentes com epidermodisplasia verruciforme e xeroderma pigmentoso.

Caracterizam-se por lesões avermelhadas, ásperas ou com crostas.

Podem evoluir para carcinoma espinocelular.

 

Queratose seborréica
É um tumor de pele benigno, extremamente comum, sendo que a maioria das pessoas desenvolverão ao menos um durante a vida e algumas pessoas desenvolvem centenas deles, o aparecimento ocorre após os 30 anos de idade e atinge qualquer área do corpo.

 Nas pessoas com grandes quantidades de lesões, de maneira geral, existe história familiar, elas tem uma preferência maior por áreas de traumas e quando localizadas em áreas como pescoço, cintura podem ser muito incômodas e traumatizar no vestuário.

Se caracterizam por lesões castanhas de claro a escuro, ásperas, pruriginosas ou não. 

Rosácea 
É uma doença crônica da face que apresenta eritema, edema, telangectasias ( vasos sanguíneos), pústulas e nódulos, localizados na região central da face, sendo uma doença com várias apresentações clínicas e possível acometimento oftalmológico. Ocorre mais após os 30 anos, em homens e mulheres, sendo mais comum em mulheres, e as apresentações mais graves ocorrem mais nos homens. Os sinais iniciais são os flushings e podem ocorrer em pessoas na faixa dos 20 anos. 

Afecção relativamento comum, sendo mais prevalente em pessoas de pele bem clara, fatores como sol, calor, álcool, comidas condimentadas e stress  podem contribuir para a piora do quadro. A causa ainda é controversa e sabe-se até o momento que o Demodex folliculorum, um parasita ( ácaro) do folículo, está presente nas lesões de rosácea e desencadeiam resposta inflamatória, ocorre também uma hiper reatividade vascular com vasodilatação, sem causa definida ainda.

Existem quatro subtipos de apresentação clínica: eitematotelangectásica, papulopustular, fimatose e ocular.

Os pacientes com rosácea referem uma pele muito irritável, com dor, sensação de picada e queimação quando utilizam cosméticos e medicamentos tópicos.

A rosácea pode ser induzida pelo uso de corticosteroides tópicos de média e alta potência.    

 
 Siringoma
É uma neoplasia benigna de dutos de glândulas sudoríparas écrinas, mais comum em mulheres, frequentemente localizadas nas pálpebras, também axilas e região púbica, caracterizam-se por pequenas pápulas achatadas amarelo-róseas.

 

Tratamento íntimo

Vulva

Clareamento de vulva: FRAXX alta frequência fracionada

Flacidez de vulva: FRAXX alta frequência fracionada, preenchimento com ácido hialurônico.

 

Vagina

Melhora da atrofia da mucosa da vagina, melhora do ressecamento ao coito, melhora do ardor das microfissuras e da dispareunia (dor à relação sexual).: FRAXX alta frequência fracionada eletrodo vaginal Linly.

Unha Encravada

Resulta da penetração do canto da unha, no tecido de pele ao redor, seguido de reação inflamatória, que pode complicar com infecção bacteriana e formação de granuloma piogênico. As causas podem ser: corte inadequado das unhas e calçados justos, além da convexidade exagerada da lâmina ungueal.


Urticária e Angioedema
A urticária e angioedema são quadros relativamente comuns, e são manifestações de vários mecanismos imunológicos e inflamatórios, mais frequente após a adolescência e principalmente nos adultos jovens. Aproximadamente 20% dos casos de urticária duram por mais de 20 anos, 50% dos indivíduos tem urticária e angioedema juntos, 10% tem somente angioedema e os outros 40% somente urticária. Nas crianças observamos em 80% dos casos somente urticária, 5% somente angioedema e em 15% ocorrem ambos.

O angioedema se caracteriza por inchaço e vermelhidão na face ou extremidades não é dolorido e nem apresenta coceira.

A urticária apresenta placas avermelhadas e inchadas com muito prurido.

Podem ocorrer manifestações sistêmicas da urticária e angioedema que são: dor de cabeça, tontura, sensação de protuberância na garganta,  respiração curta, rouquidão, náuses, vômitos, dor abdominal, diarréia, e artralgias.
As causas de urticária e angioedema são: 
sensibilidade à um antígeno- medicamentos, alimentos como frutos do mar, castanhas, chocolates e aeroalérgenos.

Urticária física como dermografismo, de pressão, vibratória, ao frio, ao calor, à luz solar, ao exercício, à água, ao stress ( adrenérgica).
Urticária de contato- ocorre poucos minutos após o contato com uma variedade de substâncias.
Urticária autoimune- ocorre circulação de autoanticorpos 
Angioedema hereditário- é  doença autossômica dominante, onde ocorre deficiência do inibidor da primeira fração ativada do complemento. Apresenta-se com vários episódios de angioedema envolvendo pele, mucosas, trato gastrointestinal e respiratório, não ocorre urticária.  
Urticária e Angioedema por degranulação direta de mastócitos- agentes como contrastes radiológicos, opióides, curare, polymixina B, d-tubocurarine.
Urticária e Angioedema por aspirina e antinflamatórios não hormonais
Urticária Idiopática- em 70% dos casos de urticária crônica a causa não é descoberta.

Verrugas Virais
São causadas pelo HPV ( papiloma vírus humano ), e transmitidas por contato direto na pele contaminada ou contato com objetos contaminados, tem uma prevalência de 4 a 33% em crianças em idade escolar e os locais mais comumente acometidos são as mãos e pés. Existem os subtipos que acometem mais região genital e órgãos genitais internos femininos, como colo do útero.

 

Vitiligo

 É uma doença com incidência mundial que gira em torno de 2%, caracterizada por manchas brancas bem delimitadas, tem caráter hereditário, pode ocorrer em ambos o sexos, todas as raças e qualquer faixa etária, sendo muito comum em crianças.

O início do problema pode estar relacionado à algum evento traumático, doença, exposição solar ou trauma cutâneo. 

Ele pode estar associado à doenças de tireóide, diabetes mellitus, doença de Addison e anemia perniciosa.

 Pode se apresentar de forma focal, segmentar ou generalizado, pode acometer mucosas, genitais, mamilos, gengiva e lábios. O vitiligo pode estar associado à despigmentação capilar, nevo halo e alopecia areata, e podem ocorrer alterações oculares como irite e despigmentação de retina.

 Xantelasma

Xantelasma são placas amareladas planas ou um pouco elevadas, localizam-se na região palpebral  e cerca de metade dos casos podem estar associados à alguma elevação de lipoproteínas de baixa densidade (LDL), o tratamento da hiperlipidemia não implica na regressão das lesões.